----------------------------------------------------

sábado, 13 de novembro de 2010


Sumie mora em Shizuoka no Japão.
Após postar a sua Opinião sobre o meu livro no seu blog de leitura
de livros com a nota máxima, somente aos resenhados como “amei”,
aconteceram os terríveis terremotos e o tisumani no Japão.
Leiam o seu impressionante depoimento no blog: http://fadadoslivros.blogspot.com/

RESENHA DE SUZIE DE SHIZUOKA
do blog http://fadadoslivros.blogspot.com

Minha Opinião:

Um livro de suspense, mistério, ação em uma trama carregada de surpresas.

O livro fala de um quadro que sumiu no século XIII, esse quadro faz parte da tapeçaria do apocalipse,que fica no Castelo de Angers, na França, ninguém sabe onde foi parar esse quadro, até que um dia recebem a informação que o quadro está no Brasil,então é enviado um policial da França para averiguar se essa informação é verdadeira, é desse momento em diante que começa todo o mistério e suspense envolvendo esse quadro.

Boa parte da história se passa no Brasil,somos levados para o mundo do crime, da corrupção,da violência, do sexo, do dinheiro fácil e das drogas. Como na história envolve um quadro da cena do apocalipse, a religiosidade se faz presente nessa trama, mas não só ela, como uma seita do diabo e até uma astróloga com seus mapas astrais. Fiquei meio perdida no começo, pois começou falando da cena da Besta e nos capítulos seguintes foi introduzida outra história e somente alguns capítulos depois retornou na história da Besta, onde ela foi interligada com a história anterior e eu consegui me achar novamente na trama,mas esse detalhe não é algo que faça o leitor desistir da leitura da história.

Além da história da Besta dos mil anos, o livro também traz, muitos fatos históricos importantes, que aconteceram no Brasil e no mundo. Esses fatos históricos são introduzidos no decorrer dos anos que está passando a história da Besta, fazendo a interligação desses períodos. Percebe-se nitidamente o minucioso trabalho que o autor teve para relatar com precisão esses acontecimentos históricos e introduzi-los na história do livro. A história como todo bom livro, também apresenta um romance, na medida certa.

Gostei muito de o autor ter criado a história praticamente toda no Brasil, expondo todos os problemas de grande contraste social, de grandes diferenças econômicas, em que o país vive.Infelizmente é uma realidade triste,mas que precisa ser mostrada,para que cada um comece a fazer sua parte para melhorar. Para terminar um trecho do livro:

"O dinheiro é a grande mentira do universo, a serviço de Satanás e seus adoradores. O diabo está livre dos mil anos de condenação e solto no mundo que ergue o dinheiro ao céu como um Deus."

NOTA MÁXIMA: 5 .................................................... Sumie
______________________________________

RESENHA DE JULIANA ARMACHE
do blog http://leitorasanonimas.blogspot.com

A primeira coisa que me chamou a atenção no livro foi a capa (claro)! Em segundo lugar, a sinopse. Mesmo já conhecendo o livro um pouco pelas sinopses que eu li primeiro no site do autor (abestados1000anos), a sinopse da contra capa é diferente. É aquele tipo de sinopse que suga o leitor para dentro das páginas. Me encantei com o estilo da escrita e a narração do livro. Felizmente, não encontrei nenhum erro ao decorrer da leitura.

O autor, que já morou na França, se inspirou em uma famosa tapeçaria bíblica encontrada no castelo de Angers (imagem ao lado) para criar a história. A história gira em torno da incansável busca pelo quadro 75, a única parte que falta para que tapeçaria do Apocalipse fique completa.

Eu nunca havia ouvido falar sobre este castelo e sobre a antiga tapeçaria, por isso achei que fossem coisas fictícias. Fiquei surpresa ao saber que ambos realmente existem, e mais do que nunca fiquei curiosa para conhecer a França, a julgar pelas maravilhosas descrições que o autor faz.


Não há apenas um protagonista. O foco da narrativa é dividido entre vários personagens que, no iníco, não possuem nada em comum, mas no final, a medida que os fatos vão se desenrolando, percebemos que todos atuam de alguma forma na história.

O livro todo é como um quebra cabeça. As peças vão se encaixando a medida que viramos as páginas e descobrimos novos fatos que nos ajudam a compreender o sumiço do quadro número 75, que ilustra a desconhecida cena do Diabo enjaulado por mil anos.

O leitor encontrará um clima eletrizante de suspense na recuperação da famosa cena, desaparecida desde o século XIII. A trama diabólica, primorosamente estruturada, cheia de reviravoltas e muitas surpresas, envolve religiosidade, mistérios, vinganças, ódio e amor, e traz de volta a figura bíblica da Besta dos mil Anos.Os personagens convivem com a maldição templária, o dinheiro fácil, a violência nas ruas, a escalada do sexo, a proliferação das drogas e a ganância corruptora. Conclamando seus adoradores a praticarem todas as maldades no mundo porque o fim dos tempos está chegando.

Este livro realmente me surpreendeu, com toda a sua riqueza cultural e muita criatividade impressa nas páginas. Agradeço muito ao autor pelo carinho e pela atenção que nos deu.


Espero que tenham gostado da resenha.
Postado por Juliana no sábado, 5 de março de 2011
_______________________________________

RESENHA DE RENATA KLIMAVICIUS
do blog http://maniadeler-rbk.blogspot.com


A BESTA DOS MIL ANOS

Leonardo vive uma vida dupla. Enquanto para a família e alguns poucos amigos íntimos ele é apenas um contador de sucesso e um pai amoroso, no mundo do crime ele é conhecido como “Cabeção”. Uma figura conhecida por “cuidar” do dinheiro do trafico de drogas e armas, fazendo com ele multiplique a olhos vistos, e por ser uma pessoa completamente desprovida de sentimentos, capaz de ordenar a morte de todos os que se colocarem em seu caminho. Leonardo deseja dinheiro e poder.

Lisa é uma conhecida astróloga do Rio de Janeiro. Seu conhecimento sobre essa pratica incentivam diversas pessoas, poderosas ou não, a buscarem conselhos nos mapas astrológicos que ela faz.

Julia nasceu e cresceu em Visconde de Mauá, na Serra da Mantiqueira. Desde muito cedo soube que queria ser repórter, desvendando mistérios e divulgando informações. Para isso deixou a cidade natal e partiu rumo ao Rio de Janeiro, levando consigo seus sonhos aventureiros, sua inteligência, bondade e sexto sentido.

Aurélien é um francês descendente de uma longa linhagem de militares. Apesar dos sonhos do pai, Aurélien foi obrigado a abandonar muito cedo a vida militar, devido a um raro problema de saúde. Hoje em dia trabalha como bibliotecário em Paris e passa as horas vagas treinando tiro ao alvo, sua arma preferida é a besta.

Ferdinand é o curador do Castelo de Angers. Uma antiga fortaleza militar construída por uma guerreira, a regente Blanche de Castille. Hoje em dia abriga o Museu de Armas Medievais, com a mais completa coleção de bestas de guerra da França. Porém sua mais valiosa obra é a tapeçaria do Apocalipse. Uma obra monumental de valor incalculável.

Padre Antoine, abade do Liceu Saint-Serge é amigo e colaborador do curador Ferdinand.

A famosa tapeçaria do Apocalipse guarda diversos mistérios. O maior deles é o desaparecimento de 7 peças. Sendo a mais importante delas a cena que mostra a Besta aprisionada por mil anos. Será a busca por esse quadro o elo que unirá esses personagens tão diferentes.Cada um deles tem um motivo para querer recuperar o quadro perdido. Para cada um deles o quadro tem uma importância diferente. Desde fonte de poder infinito, renovação da fé e simplesmente beleza histórica.

Intrigas, mentiras, romances e assassinatos estarão no caminho dos nossos personagens, enquanto eles buscam a cena da Besta. Ela será encontrada. Porém resta saber por quem e se ela se manterá realmente aprisionada por quem a encontrar.Escolha um personagem. Faça suas apostas e partam rumo a essa jornada.

A Besta dos Mil Anos foi uma agradável surpresa. Confesso que esperava um livro no estilo Dan Brown, com uma busca alucinante pelo quadro, porém me deparei com um estilo diferente. Ilmar se preocupou não apenas com a busca pelo quadro, mas em explorar cada personagem e porque o quadro era importante para cada um deles. O final foi surpreendente. Quando tive certeza que tudo estava enfim resolvido, forças misteriosas mudam o rumo dos acontecimentos.

Venham descobrir os mistérios que um aparentemente simples quadro pode revelar. Embarque nessa viagem com nossos personagens e descubra todos os segredos que Ilmar preparou para nos surpreender.

Eu já viajei, agora é sua vez.
Postado por Renata às 07:55 do dia 04/03/2011.
______________________________________

RESENHA DE REGINA CÉLIA POLLI
Blog: www.analiseeleituras.blogspot.com
Blog: www.livronochadascinco.com.br

“- Vou aguardar. Pode deixar que vou descobrir tudo que anda escondendo de mim – disse o padre, como se, por trás do sorriso irônico do curador, desconfiasse de algo demoníaco que o misterioso vazio na parede quisesse ocultar.

O padre Antoine Duvert, de repente, silenciou e ficou com o semblante grave, aflito, de quem estava prestes a orar. Reconhecia como legítima e saudável a ambição do curador do castelo em recuperar pelo menos um dos setes quadros perdidos da sequência da Revelação Divina; em especial, a recuperação a qualquer preço da cena desconhecida do Diabo enjaulado por mil anos. Na verdade, temia que esse quadro desaparecido significasse que o dragão de sete cabeças estivesse solto no mundo. Onde estivesse, estaria semeando a discórdia, incentivando a aids, a pedofilia, o aborto, a clonagem humana, instigando a violência, a ganância e a corrupção. Tudo indicava que os homens teriam perdido a batalha do bem contra o mal. Essa foi a visão aterrorizante que sua mente teve, pairando sob as imensas torres circulares do Castelo de Angers.”

O leitor encontrará um clima eletrizante de suspense e ação na recuperação da famosa cena, desaparecida desde o século XIII. A trama diabólica, primorosamente estruturada, cheia de reviravoltas e muitas surpresas, envolve religiosidade, mistérios, vingança, ódio e amor, e traz de volta a figura bíblica da Besta dos mil Anos.

Os personagens convivem com a maldição templária, o dinheiro fácil, a violência nas ruas, a escalada do sexo, a proliferação das drogas e a ganância corruptora. Conclamando seus adoradores a praticarem todas as maldades no mundo porque o fim dos tempos está chegando…
Gostei muito dessa história. Um suspense muito bem escrito e que prende a atenção do começo a fim.

Aqui, os personagens são pessoas “reais”. Não existe aquela idealização tão comum aos romances de mistério. Eles não são somente bons ou maus, mocinhos ou vilões. Todos os personagens trazem em si o bem e o mal – exatamente como todos nós – e têm o poder de escolher seus caminhos e fazer sua história. E foi esse aspecto de seres por quem você torce, depois sente repulsa, depois raiva, depois pena, o que mais me atraiu no decorrer do livro.

Fiquei intrigada, também, com a Tapeçaria do Apocalipse. Uma obra de arte medieval que retrata todo o Apocalipse de São João e que foi muito maltratada e mutilada e que, agora, o governo francês busca restaurar a antiga glória. Só que, no decorrer dos séculos, algumas cenas se perderam. Entre eles a figura do dragão de sete cabeças, que simboliza a Besta, e que foi aprisionada por mil anos. Além de ser uma perda grave para a linha de tempo da tapeçaria, há também todo o simbolismo cristão de o diabo estar solto no mundo e trazendo o mal para a humanidade. Assim, recuperar essa cena é tanto restaurar uma obra de arte quanto aprisionar o demônio que vaga pelo mundo trazendo a violência e o terror.

Acontece que essa cena vem aparecer no Brasil, mais precisamente na favela da Rocinha. E sua presença realmente traz o mal, pois os franceses de uma ONG que estavam tratando da devolução da relíquia são torturados e mortos pelos traficantes que estão atrás do dinheiro e da peça. E é aqui que entram os personagens de Leonardo, Lisa, Aurélien (amei esse nome e personagem!) e Júlia e a luta pela posse da cena. Cada um deles têm seus motivos e agendas e lutam como podem para cumprir sua missão e seu destino.

Adorei as reviravoltas na história! Não vou falar sobre cada personagem, pois é muito melhor cada leitor ir descobrindo aos poucos a personalidade e o papel que cada um vai desempenhar no decorrer da trama. E podem contar com muitas surpresas, pois Ilmar vai narrando como se estivesse tecendo e só vamos ver toda a “cena” ao chegar ao final! E é um final cheio de surpresas! Nem preciso dizer que gostei muito desse modo peculiar de narrar.

Se vocês quiserem ver a tapeçaria, os Castelos na França e algumas outras curiosidades que aparecem no livro (adoro poder ver e sentir o cenário!) podem se dirigir ao site do livro: www.abestados1000anos.com.br.

Garanto que vai ser uma viagem bem legal!

1 comentários:

Renata 10 de março de 2011 14:32  

Oi Ilmar!!!
Essa seção ficou excelente. É incrível observar como cada pessoa reage em relação ao livro. Para isso basta ler as duas resenhas, acho que isso ira aumentar e muito a curiosidade dos futuros leitores.
Obrigada por confiar sua obra à mim e ao meu blog. Que essa parceria gere ainda muitos frutos.
Abraços

Dúvidas, críticas, sugestões? Poste aqui!